PUBLICAÇÕES RECENTES

Sobre o fim do lixão a céu aberto em Santa Inês

3 de maio de 2012






Santa Inês é o último dos 5 municípios escolhidos para sediar a audiência pública sobre diretrizes e metas propostas no Plano Estadual de Gestão de Resíduos Sólidos (PEGRS).

A consulta pública será realizada pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais (SEMA) com apoio da prefeitura de Santa Inês. O encontro será no auditório da prefeitura de Santa Inês, às 8h do próximo sábado, 5. 



Estão sendo aguardados representantes de entidades ligadas ao meio ambientes, da prefeitura e de outros segmentos sociais interessados de 127 municípios maranhenses.


O objetivo da audiência é proporcionar aos participantes e à sociedade em geral, o conhecimento a cerca do diagnóstico prévio já elaborado pela SEMA e complementado nos encontros realizados em Imperatriz (03/04), Presidente Dutra (10/04), Codó (12/04) e São Luis (14/04). As informações colhidas em Santa Inês servirão para compor o Plano Estadual de Resíduos Sólidos que deve ser finalizado e já posto em prática no último trimestre de 2012.

Clique aqui para ver a versão preliminar do Plano Estadual de Gestão de Resíduos Sólidos 

De acordo com o secretário Obras, Urbanismo e Meio Ambiente de Santa Inês, Nicolau Miranda, o município está "mais do que a um passo à frente" no que se refere aos resíduos sólidos. "Santa Inês já tem uma área, distante de qualquer comunidade, destinada à construção do Aterro Sanitário do município", assegurou o secretário.


Secretário de Obras Nicolau Miranda e o chefe do Departamento de Meio Ambiente
 de Santa Inês, Jonildo Oliveira  finalizam os preparativos da audiência
A área a que se refere Nicolau Miranda é de 30 hectares e está localizada a 5km da sede do município de Santa Inês. A melhor referência de localização é o povoado Barradiço.


O chefe do departamento de Meio Ambiente de Santa Inês, Jonildo Oliveira, que participou ativamente de outras audiências, reafirmou a dianteira do município de Santa Inês em relação à maioria dos municípios do interior do Estado. "O Aterro Sanitário de Santa Inês será financiado pela Vale em parceria com a prefeitura. A Vale, inclusive, já fez um levantamento ambiental na área e será responsável pela elaboração do projeto que não tem data prevista para conclusão", afirmou Jonildo.


Quanto ao atual lixão de Santa Inês, Nicolau Miranda afirmou que será desativado assim que o aterro for construído e a área será reaproveitada. "O local será transformado em Área de Preservação Permanente (APP) com construção de um bosque para passeios e pesquisas estudantis", finalizou o secretário. 


Do ponto de visto prático, o município segue o que determina a Lei 12.305/2010 sobre a Política Nacional de Resíduos. De acordo com lei, lixões a céu aberto e aterros controlados ficam proibidos. A Lei determina ainda que todas as administrações públicas municipais, indistintamente do seu porte e localização, devem construir aterros sanitários e encerrarem as atividades dos lixões e aterros 
controlados,  no prazo máximo de 4(quatro) anos, substituindo-os por aterros sanitários ou industriais, onde só poderão ser depositados  resíduos sem qualquer possibilidade de reciclagem e reaproveitamento, obrigando também a compostagem dos resíduos orgânicos.




6 comentários

  1. Tomara que isso saia do papel. Santa Inês está precisando de um aterro urgente. Jonildo aja e faça isso acontecer de verdade.

    ResponderExcluir
  2. Isso ta cheirando promessas de companha. Esse ano muita coisa ainda vai acontecer. Ou melhor muita promessa ainda vi surgir. Agora sair do papel que é bom nem pensar.

    ResponderExcluir
  3. Antonio Eduardo Vilanova3 de maio de 2012 11:48

    Agora vai pra fente. Santa Inês precisa mesmo de um aterro sanitário. Esse negocio de lixão a ceu aberto é coisa da idade feudal. Precisamos saber gerir os nossos resíduos para que a cidade não padeça com o impacto negativo no meio ambiente e na saúde dos moradores. Ponto para a prefeitura.

    ResponderExcluir
  4. Mais aqui tudo é piada, tudo termina em pizza e tudo vira uma baixaria. Meus caros, a nossa cidade é um verdadeiro picadeiro: Os palhaços somos nós,(cidadões de bem, que trabalham honestamente) e o público que riem das nossas caras são esses ai, que se dizem está na frente do poder.

    ResponderExcluir
  5. Há uma obrigatoridade por Lei, de que todos os municipios do Brasil construam seus próprios Aterros Sanitarios até 2014, ou em consórcio com outros municipios. Não é vontade do prefeito ou de quem o auxilie, é LEI, e vai ter muito dinheiro pra isto acontecer, então não fiquemos enganados pensando que é boa vontade do gestor público, que de bom ele não é nada, ele (que não há mais tempo pra isso) ou outro que vier a dirigir o nosso municipio vai sim ser obrigado a construir o ATERRO SANITÁRIO. Ontem (05/05) hove uma audiência pública no Auditório da Prefeitura para este fim, e que toda a população, entidades, enfim todos pudessem se manisfestar e dar suas opiniões, onde foi esclarecido pelo palestrante a obrigatoriedade e o prazo final.

    ResponderExcluir

Todos os comentários postados no Notas do Daniel Aguiar passarão por moderadores. O conteúdo dos comentários é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a nossa linha editorial.

 

Fale com o blogueiro

- Daniel Aguiar -
WhatsApp: (98) 9 8256 6682
Email: danielaguiarpereira@gmail.com

O que você procura?

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

WhatsApp do 7º BPM/Pindaré

WhatsApp do 7º BPM/Pindaré

OPORTUNIDADES

Tags