PUBLICAÇÕES RECENTES

COMEFC denuncia manobras usadas por meios de comunicação para "manchar" a imagem do consórcio

29 de julho de 2013

A nota, assinada pela presidente do Consórcio dos Municípios da Estrada de Ferro Carajás no Maranhão (COMEFC) e prefeita de Bom Jesus das Selvas, Cristiane Damião, foi publicada nesta segunda-feira (29), no site oficial do COMEFC.

Presidente do COMEF, prefeita Cristiane Damião, e os
prefeitos Atemir Botelho (Alto Alegre do Pindaré) e Queiroz
(Monção) participam de manifestação em Monção

(Foto: Blog do JP)

De acordo com a nota, uma reportagem exibida por um telejornal maranhense sobre a interdição da ferrovia carajás no município de Monção, ocorrida no último sábado (27), afirmou que a manifestação foi liderada pelo consórcio. "Ao contrário do que foi veiculado na mesma reportagem, o COMEFC em momento algum LIDEROU as manifestações realizadas nos trechos da ferrovia Carajás nos últimos dias. Os representantes do Consórcio simplesmente APOIARAM e PARTICIPARAM de manifestações ocorridas após algumas audiências públicas do Consórcio, pois entendem e se solidarizam com estas comunidades, que encontraram nas manifestações a única possibilidade de chamar a atenção da Vale S.A. para sua triste realidade", diz a nota.

Ainda de acordo com a nota, alguns meios de comunicação fazem manobras para confundir a população sobre as reais intenções do COMEFC."Entendemos que, infelizmente, alguns meios de comunicação estão fazendo manobras no intuito de tentar distorcer as reais intenções do COMEFC e de confundir a opinião pública sobre nossas reais intenções; mas afirmamos que não vamos nos calar".

O primeiro tesoureiro do COMEFC e prefeito de Alto Alegre do Pindaré, Atemir Botelho também manifestou-se sobre o assunto em entrevista ao Blog do Alto. Atemir mostra-se solidário à população dos municípios cortados pela estrada de ferro.  “As comunidades que margeiam a ferrovia sempre reivindicaram seus direitos, reclamam do barulho ensurdecedor, das trepidações, da ausência de viadutos e passarelas, dentre outros males causados pela passagem dos trens. Mas, as comunidades nunca foram ouvidas", disse o prefeito.

A interdição da ferrovia em Monção, ocorrida no último sábado, durou cerca de 4 horas. 

Veja abaixo a íntegra da nota emitida pelo COMEFC.

Em virtude do que foi veiculado no último sábado, em um telejornal do Maranhão, a respeito da manifestação realizada no trecho da ferrovia Carajás, na cidade de Monção, o COMEFC vem a público esclarecer que:

1º) O COMEFC é um consórcio sério, formado por representantes dos 23 municípios percorridos pela estrada de ferro Carajás no Maranhão, que tem como objetivo maior defender os interesses das comunidades impactadas pela existência da estrada de ferro junto à Vale S.A., que até hoje ignora os efeitos maléficos que causa naquelas comunidades. Em nenhum momento nosso objetivo é o de prejudicar a vida ou o direito de ir e vir das pessoas; pelo contrário, até hoje somente a Vale S. A. tem desrespeitado estes direitos, uma vez que centenas de moradores já foram vitimados nos trilhos e milhares de outros já sofreram as conseqüências de ter que esperar pela passagem do trem nas estradas cortadas pela ferrovia, tendo sofrido assaltos e situações de risco de vida em ambulâncias que param à espera da possibilidade de atravessar sem riscos a ferrovia;

2º) Ao contrário do que foi veiculado na mesma reportagem, o COMEFC em momento algum LIDEROU as manifestações realizadas nos trechos da ferrovia Carajás nos últimos dias, os representantes do Consórcio simplesmente APOIARAM e PARTICIPARAM de manifestações ocorridas após algumas audiências públicas do Consórcio, pois entendem e se solidarizam com estas comunidades, que encontraram nas manifestações a única possibilidade de chamar a atenção da Vale S.A. para sua triste realidade. Ainda ao contrário do que foi veiculado, já foram realizadas dezesseis audiências públicas nos municípios consorciados; audiências estas realizadas de forma ordeira; tendo a Vale S.A sido convidada a participar de todas. Reiteramos que, de forma alguma,
, todas estas audiências públicas levaram a manifestações ao longo da ferrovia. Entendemos que, infelizmente, alguns meios de comunicação estão fazendo manobras no intuito de tentar distorcer as reais intenções do COMEFC e de confundir a opinião pública sobre nossas reais intenções; mas afirmamos que não vamos nos calar. Representamos um milhão e oitocentos mil habitantes. Somos sua voz e faremos tudo o que for necessário para que esta voz seja ouvida por todos aqueles que insistem em ignorar sua existência, seus problemas e sua triste realidade social, inclusive dentro de alguns meios de comunicação;

3º) Por último, gostaríamos de dizer que, infelizmente, não existem conquistas sem sacrifícios, principalmente quando precisamos gritar e nos manifestar pra sermos ouvidos e vistos. Isto vem acontecendo em todo o país e aqui não poderia ser diferente. E nós, do COMEFC, não desistiremos desta conquista. Estamos enfrentando uma grande batalha, uma verdadeira luta com uma grande empresa, mas, GRANDE, é o povo do Maranhão que não se calará. E pela graça de Deus, sairemos vitoriosos e poderemos mostrar ao mundo e a todos aqueles que insistem em ignorar a triste realidade das minorias, que estaremos sempre JUNTOS PRA FAZER VALER A PENA.


Cristiane Damião Daher
Presidente do COMEFC

2 comentários

  1. Eles estão provando de seu proprio Veneno. Atemir Botelho que conheço bem sempre fez isso, e este tal COMEFEC estar atrapalhando as nossa vidas......

    ResponderExcluir
  2. Prefeitos querendo mais dinheiro para o seu bolso kkkkkkkkkk.......

    ResponderExcluir

Todos os comentários postados no Notas do Daniel Aguiar passarão por moderadores. O conteúdo dos comentários é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a nossa linha editorial.

 

Fale com o blogueiro

- Daniel Aguiar -
WhatsApp: (98) 9 8256 6682
Email: danielaguiarpereira@gmail.com

O que você procura?

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

WhatsApp do 7º BPM/Pindaré

WhatsApp do 7º BPM/Pindaré

OPORTUNIDADES

Tags