PUBLICAÇÕES RECENTES

Profissionais do CAPS de Santa Inês recebem capacitação em São Luis

12 de agosto de 2013


Profissionais que trabalham nas Redes de Atenção Psicossocial estão sendo capacitados na “Oficina de Atenção à Crise e Matriciamento em Saúde Mental em Espaços Hospitalares e Extra-Hospitalares”. A qualificação, promovida pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), teve início nesta segunda-feira (12), no auditório da Fundação Sousândrade, em São Luis, e prossegue até esta terça-feira (13).
Oficina em Saúde Mental com a presença de coordenadores 
de saúde dos municípios (Foto: Nestor Bezerra)
Nesta primeira etapa estão sendo capacitados profissionais dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) e coordenadores de saúde dos municípios de Bacabal, Vitorino Freire, Chapadinha, Arari, Miranda do Norte, Vitória do Mearim, Icatu, Santa Rita, Alcântara, Paço do Lumiar, Raposa, São Luis, São José de Ribamar, Santa Inês, Alto Alegre do Pindaré, Bom Jardim e São Mateus. 

O coordenador Estadual de Saúde Mental, Raimundo Teodoro de Carvalho, adiantou que a meta é capacitar os técnicos que trabalham nas redes de atenção psicossocial de todas as regiões de saúde. “A nossa intenção é trazer especialistas para melhorar ainda mais os trabalhos desenvolvidos na rede estadual”, justificou. Nesta fase foi convidada a médica psiquiátrica e psicodramatista de Recife, Gilvanice Noblat.

Entre os temas abordados, aspectos conceituais de crise e emergência psiquiátrica, as equipes de saúde da família e as situações de crise em saúde mental, a crise e a urgência em saúde mental em espaço hospitalar e extra-hospitalar, diretrizes farmacológicas no tratamento de transtornos mentais, aspectos conceituais acerca de matriciamento, demandas de saúde mental na atenção básica, matriciamento em espaço hospitalar e comunitários.

Raimundo Teodoro explicou que o encaminhamento de paciente para outra unidade de saúde, dentro ou fora da região, deve ser acompanhado de contato prévio e documentos de referência, no qual conste uma breve historia clínica e social do paciente, bem como as condutas adotadas até o momento do encaminhamento assinada pela equipe de saúde que realiza o encaminhamento. “Deve ter letra legível, registro dos principais achados e/ou alterações do comportamento, condutas tomadas e motivo do encaminhamento”, disse.

Fonte: SES

Um comentário

  1. Dia 03 de setembro ta chegando, será que o prefeito vai continuar enrolando para não chamar os concursados? Porque a língua dele que dizia que o concurso era ilegal ele "mordeu" e agora qual será a desculpa esfarrapada dele agora?

    ResponderExcluir

Todos os comentários postados no Notas do Daniel Aguiar passarão por moderadores. O conteúdo dos comentários é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a nossa linha editorial.

 

Fale com o blogueiro

- Daniel Aguiar -
WhatsApp: (98) 9 8256 6682
Email: danielaguiarpereira@gmail.com

O que você procura?

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

WhatsApp do 7º BPM/Pindaré

WhatsApp do 7º BPM/Pindaré

OPORTUNIDADES

Tags