PUBLICAÇÕES RECENTES

Sobre a anulação do Projeto de Lei do vereador Antonio Silva

26 de agosto de 2013


O vereador Antonio Silva ocupou a tribuna da Câmara na última sexta-feira (23) sob vaias de moradores da Rua Nova e saiu de lá aplaudido. O autor do Projeto de Lei que mudava o nome da Rua José Abreu de Castro (conhecida com Rua Nova) para Rua Nova da Assembleia de Deus, no Centro da cidade, ouviu a manifestação do povo e leu cartazes de repúdio ao projeto.


Antonio Silva tentou justificar as razões que o levaram a propor a mudança. Não convenceu. Tentou explicar que o novo nome não prejudicaria ninguém. Não convenceu. Fez uma modificação no projeto inicial e acrescentou "Nova" ao nome da rua, ficando Rua Nova da Assembleia de Deus. Ninguém quis saber. O pedido pela anulação era uníssono e ecoava por meio de palavras de ordem no plenário da Câmara de Vereadores de Santa Inês.

A cada três palavras proferidas pelo parlamentar, vaias e manifestação de revolta partiam da galeria. Não houve mais como resistir e Antonio Silva solicitou a anulação do Projeto. O vereador foi calorosamente aplaudido pelos moradores. Fim do discurso e um largo sorriso no rosto de Antonio Silva, compartilhado por outras dezenas de sorrisos de expectadores.



Segundo Madeira de Melo, não é de hoje que se muda nome de rua em Santa Inês. "O vereador Jorginho deu o nome de Rua José Abreu de Castro àquela rua e ninguém disse nada", concluiu.

Ademarzinho foi solidário: "Vossa excelência não fez mal a ninguém da Rua Nova. Quis homenagear a igreja. Todos daquela rua conhecem e respeitam o vereador Antonio Silva. Parabenizo vossa excelência pela sua humildade".


Dr. Uchôa falou que a população que foi à Câmara exigir a anulação do projeto estava agindo de modo equivocado. "A população veio equivocadamente para manter o nome de Rua Nova. Mas, Rua Nova não existe", disse o vereador referindo-se ao fato de que o nome da rua, de fato, é José Abreu de Castro.

Creusa da Caixa foi breve mas, tocou no assunto: "Saudações ao pessoal da Rua Nova que, graças a Deus, continua sendo Rua Nova".

Outros assuntos relevantes entraram na pauta do dia; 

Dr. Tomaz fez um requerimento verbal solicitando o fortalecimento da parceria do município com o Centro de Recuperação de Drogados que já existe em Santa Inês, mas funciona com limitações. O vereador defendeu a internação compulsória a usuários de crack - casos graves - do município de Santa Inês. "As drogas agem de maneira tão agressiva nos usuários que não permitem que eles entendam a gravidade da situação e o quanto seu comportamento pode ser nocivo para eles e para os outros", disse.
A proposta do vereador é que a Secretaria de Saúde disponibilize médicos, psicólogos e enfermeiros para acompanhar os pacientes. 


Os professores voltaram a usar a tribuna para reivindicar a posse dos concursados e o pagamento do piso salarial nacional. A comissão provisória do Sindicato dos Profissionais da Educação do Ensino Público do Município de Santa Inês - SINPROESSIN pediu,  novamente, a presença da secretária de Educação Concita Costa na Câmara para prestar esclarecimentos desta pasta. Vale lembrar que a secretária foi convocada pela Câmara e tem 30 dias para comparecer sob pena de receber ordem direta da Justiça. Ou seja, ou ela vai por bem ou por mal. Na última sexta, a secretária justificou a ausência.


Os professores não vão desisitir.


O vereador Aksom Lopes agradeceu o apoio dos parlamentares na aprovação do projeto que proíbe o uso da linha com cerol em pipas em todo território de Santa Inês. Akson enfatizou que em muitos municípios do Brasil a proibição já é lei e que a medida vai evitar acidentes graves provocados por uma brincadeira aparentemente inofenciva.

A vereadora Creusa da Caixa, na sua fala, propôs que todos os projetos devem ser apreciados pelas comissões da Câmara antes de entrar em votação e já ficou convocada para a próxima quarta-feira às 08 horas da manhã, uma reunião interna com os componentes da Comissão Permanente de Orçamento, Finanças, Obras Públicas, Planejamento e Patrimônio Municipal e a Comissão Permanente de Constituição, Justiça, Legislação, Administração, Assuntos Municipais e Redação Final para apreciação de projetos.

O presidente da casa, Franklin Seba, concordou. Seba ressaltou que todas as decisões da Câmara são tomadas em comum acordo e  a vontade da maioria sempre prevalece.


4 comentários

  1. Todos, sem tirar nenhum, os vereadores de Santa Inês são uns "sem noção", não se vê um projeto feito por algum deles que tenha algum fundamento. Os secretários do município mostram muito mais serviços prestados do que os próprios vereadores que estão lá por vontade do povo. Fica minha opinião!

    ResponderExcluir
  2. Saída pela tangente. Boa decisão vereador. Nós da rua nova estamos orgulhosos com voce pela decisão de retirar o projeto. não guardamos magoas e continuamos seus eleitores.

    ResponderExcluir
  3. Esses professores passaram 8 anos sem reclamar de nada com medo do antigo prefeito,agora querem tudo mais rapido tenha conciencia seus professores em vez de vocês estarem fazendo manifestaçoes por ai vão estudar pra vocês oferecerem uma educação de mais qualidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CONCORDO EM GÊNERO, NÚMERO E GRAU.

      Excluir

Todos os comentários postados no Notas do Daniel Aguiar passarão por moderadores. O conteúdo dos comentários é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a nossa linha editorial.

 

Fale com o blogueiro

- Daniel Aguiar -
WhatsApp: (98) 9 8256 6682
Email: danielaguiarpereira@gmail.com

O que você procura?

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

WhatsApp do 7º BPM/Pindaré

WhatsApp do 7º BPM/Pindaré

OPORTUNIDADES

Tags